O Brasil registrou 30.308.227 milhões de contratos de banda larga fixa no fechamento de dados para o mês de junho de 2018. Um crescimento de 5% no primeiro semestre do ano, um total de 1,4 milhão de novas conexões. Os números divulgados pela Anatel – Agência Nacional de Telecomunicações, são parte dos relatórios sobre o mercado de SCM – Serviço de Comunicação Multimídia, que a agência reguladora disponibiliza para os usuários finais do serviço, provedores regionais e operadoras de telecomunicações brasileiros.

 

  • Na comparação mês a mês (entre maio e junho deste ano), houve um aumento de 121.284 contratos de banda larga fixa no país.
  • Na comparação ano a ano (entre junho deste ano a junho do ano passado), houve um aumento de 2.496.656 contratos.


Grupo dos Provedores Regionais somaram 5.437.271 de contratos ao serviço no fechamento de junho, enquanto o mercado total brasileiro fechou o mês com aproximadamente 30,3 milhões de acessos fixos à internet. Se observado o crescimento dos ISPs no período de 12 meses, os provedores regionais foram responsáveis por 1,77 milhão de novos contratos.

 

Todo o crescimento do mercado de internet no país pode ser também analisado no livro do NIC.br “Banda Larga no Brasil: Um Estudo Sobre a Evolução do Acesso”.

 

POR TECNOLOGIA

Os acessos da banda larga fixa por meio de fibra ótica e via cable modem já representam cerca de 45% do total de acessos no serviço, o que vem possibilitando a migração dos acessos para velocidades mais altas. Os acessos com velocidade maior que 12 Mbps já representam 46% dos acessos banda larga fixa do Brasil, cerca de 11% a mais que o mesmo período em 2016.

Cable Modem – 9.250.614 milhões de acessos

Fibra Ótica – 4.132.313 milhões de acessos

xDSL – 12.877.984 milhões de acessos

Embora a tecnologia xDSL ainda seja a mais utilizada no país, com 12.877.984 contratos registrados em junho. O xDSL significa Linha Digital de Assinante, é uma família de tecnologias utilizada para transmitir dados digitais por meio de linhas telefônicas. A ADSL (linha digital assimétrica de assinante) foi durante muitos anos (no início da operação de banda larga fixa no brasil) a tecnologia DSL mais utilizada para acesso à Internet.

Já no segundo lugar, o Modem a cabo utiliza as redes de transmissão de TV a Cabo para transmitir os dados, fazendo uso da porção de banda não utilizada pela TV.

E em terceiro lugar ficou a fibra ótica. A Fibra ótica são fios de vidro ou plástico, de pequeno diâmetro, feitos de material que não sofre interferências eletromagnéticas, por isso, possui importância em sistemas de comunicação de dados.

 

POR ESTADO

No mês de junho, São Paulo foi o estado com o maior número de contratos de banda larga fixa do país, foram contabilizados 10.312.606 contratos.

Em segundo lugar ficou o Rio de Janeiro, que registrou 3.241.173 contratos e, em terceira posição Minas Gerais, com 3.105.619 contratos.

Nos últimos 12 meses, o maior crescimento percentual foi registrado no Maranhão aumento de 23%. O estado do Nordeste teve um aumento de 55.667 contratos de banda larga em junho deste ano, em relação ao mesmo mês do ano passado.

Roraima foi o único estado que registrou redução percentual, com -1,78%. O estado da região Norte apresentou queda de 672 contratos em junho deste ano, em comparação ao mesmo mês do ano passado.

 

POR VELOCIDADES

Podemos observas nas tabelas abaixo as variações de velocidades por faixa em 2 diferentes períodos. Na variação de um mês para o outro (maio a junho de 2018) e período de 1 ano (2017 a 2018). Onde é possível analisar o crescimento nas faixas de maior velocidade com mais expressão, e pequenas reduções nas faixas de menor velocidade.

Alterações no número de acessos por Faixas no último mês:

0 kbps a 512 kbps – Ouve redução de 968.257 acessos em maio para 873.759 em junho

521 kbps a 2 Mbps – Queda de 5.583.377 para 5.498.434 acessos acessos nesta faixa.

2 Mbps a 12 Mbps – Pequena redução de 10.184.388 para 10.132.176.

12 Mbps a 34 Mbps – Faixa teve alteração de 7.841.704 para 7.804.092 acessos .

> 34 Mbps – Crescimento significativo de 5.354.523 acessos para 5.999.766 acessos. 

 

Alterações no número de acessos por Faixas no INTERVALO DE 1 ANO:

0 kbps a 512 kbps – de 938.958 acessos para 873.759.

521 kbps a 2 Mbps – de 6.440.524 acessos para 5.498.434.

2 Mbps a 12 Mbps – de 9.617.859 acessos para 10.132.176.

12 Mbps a 34 Mbps – de 7.380.702 acessos para 7.804.092.

> 34 Mbps – de 3.433,528 acessos para 5.999.766.

No gráfico abaixo podemos observar o crescimento das velocidades das conexões, de acordo com o aumento dos acessos no período entre 2015 e 2018.

Fique sabendo de todos os números e relatórios divulgados pela Anatel, acompanhe o Blog da MHemann e nossas redes sociais. Tudo que você precisa saber sobre regulamentação, inovação, tecnologia e do mercado de provedores regionais do Brasil está aqui.

 

Fonte: Anatel/ Teleco/ MHemann

 


OUTRAS NOTÍCIAS RELACIONADAS EM NOSSO SITE:

Pesquisa de Satisfação para Consumidores de Telecomunicações está aberta até Novembro pela Anatel

61% dos domicílios brasileiros tem acesso à internet apontam estudos do Cetic.br do NIC.br

Com fibra óptica e maiores velocidades de conexão, Provedores Regionais voltam a elevar os acessos da banda larga fixa

Provedores Regionais elevam os acessos em localidades rurais no Mato Grosso do Sul

Já viu o lançamento do NIC.br ? Baixe grátis o livro Banda Larga no Brasil: um estudo sobre a evolução do acesso

 



III Missão Técnica MHemann – Edição Oriente 2018 | Coréia do Sul e China