A operadora de cabos submarinos Seaborn escolheu a Xtera como fornecedora para o sistema que ligará a Argentina ao Brasil, o Cabo ARBR. De acordo com a empresa nesta terça-feira, 23, a construção da infraestrutura começará ainda em 2018, com a previsão de conclusão no primeiro semestre de 2019.

O Cabo ARBR terá conexão com o sistema Seabras-1 (outro Cabo da Seaborn), oferecendo à Argentina uma rota “mais rápida e mais direta” a Nova York. O Seaborn teve sua inauguração a poucos meses, no meio de setembro de 2017.

O sistema do Cabo ARBR terá 2.700 km de extensão, contará com quatro pares de fibra e capacidade de 48 Tbps. A Seaborn já se pronunciou afirmando que o cabo está “completamente financiado” e com seu “cronograma de implantação acelerado”.

A operado já vinha anunciando sua intensão de implantação do Cabo ARBR desde meados de 2012, contudo a iniciativa só ganhou força com a recente parceria com o Grupo Wherthein da argentina.

Por outro lado, o Cabo Seabras já está operacional e ligará o Brasil à América do Norte. O valor do contrato não foi revelado. A construção do cabo custará cerca de US$ 75 milhões, divididos entre Seaborn e o grupo argentino Wherthein.

Em comunicado, a Seaborn afirma que a Xtera foi escolhida por conta da abordagem flexível junto às estruturas de parceiros e contratos, com possibilidade de oferecer tecnologias submarinas para atualizações “seca e molhada”, licenciamento de IP e especialistas OEM em mercados selecionados.

A fornecedora implantará gerenciamento do fornecimento de energia, sistemas de gerenciamento de rede e repetidores com design híbrido para otimização do sistema de transmissão, que será interligado ao Open Systems Gateway da empresa.

 

CABO MONET

Outro grande projeto para o Brasil é o Sistema Monet da Angola Cables. A operadora anunciou nos primeiros dias de 2018 a escolha da Equinix, empresa global de interconexão e data center, para receber os equipamentos do cabo Monet, que ligará Estados Unidos e Brasil.

A conexão chegará no Brasil pela Praia Grande, em Fortaleza (Ceará), de lá, para o próximo ponto fica em Santana do Parnaíba, onde ocorrerá a distribuição do tráfego pela América do Sul.

O cabo Monet tem a empresa angolana como uma das investidoras, contando ainda com o Google, a Antel (Uruguai) e a Algar Telecom (Brasil). Sua rota será de mais de 10 mil quilômetros e capacidade de comunicação de pelo menos 60 Tbps, em seis pares de fibra — sendo dois da Angola Cables.

A construção – financiada pelas quatro empresas que formam o consórcio – ficou à cargo da TE Subcom (divisão de cabos submarinos da Tyco Electronics). O Monet estará conectado aos data centers IBX+ SP3 da Equinix Brasil e aos IBXs+ MI1 e MI3 na Equinix EUA.

 

Fonte: Teletime/ MHemann/ Telesíntese

Outras Notícias Sobre o Tema:

https://mhemann.com.br/2017/07/cabo-submarino-seabras-1-que-liga-brasil-aos-estados-unidos-sera-lancado-em-setembro/

GRANDE DIA PARA AS TELECOMUNICAÇÕES – COMEÇA A SER IMPLANTADO SISTEMA DE CABOS QUE LIGA URUGUAI, BRASIL E ESTADOS UNIDOS

South África-Brazil – Novo Cabo Submarino SABR ligará Brasil, África do Sul e Índia

China Unicom interligará Brasil à África através de cabo submarino

SACS – Cabo Submarino ligando Brasil e Angola começa a ser implantado

Brasil registra queda na velocidade de internet devido à passagem de Furacão Maria