Provedores Paraenses se reunem para criação da APPIT

Visando o apoio aos provedores de banda larga e empresas provedoras de serviços de telecomunicações no Estado do Pará, foi criada neste mês de novembro a APPIT - Associação Paraense de Provedores de Internet e Telecomunicações.

A organização nasceu através das comuns dificuldades que atrasam as empresas de telecom e impedem que melhores serviços sejam prestados aos usuários finais do estado do Pará. Alguns pontos altos levaram à iniciativa, como a expansão do backbone local, hoje estagnado em virtude de falta de investimentos da Eletronorte, e frequentes desacordos nos valores apresentados em contratos com a Celpa.

Para conhecermos mais sobre a Associação, a MHemann esteve em contato com a Diretoria da APPIT para saber mais dos seus planos de atuação, conhecer o grupo que compõem a diretiva e saber sobre a adesão das empresas no estado. Confira abaixo nossa entrevista com o presidente da associação, José Selestino Trevisan Junior.

 


Quais são os principais pontos nos planos da Associação, por onde pretendem começar a atuação?

Selestino: Em primeiro lugar gostaria de deixar claro que o objetivo geral da Associação Paraense de Provedores de Internet e Telecomunicações - APPIT é apoiar e promover a defesa das empresas paraenses provedoras de serviços de internet e telecomunicações; buscar o desenvolvimento e a integração do Estado do Pará de forma estruturada através da rede internet; aspirar à sustentabilidade através do equilíbrio entre os interesses econômicos e ambientais, respeitando as leis, costumes, culturas e a natureza.

Nossa pretensão é realizar acordos de cooperação bilaterais ou multilaterais com universidades, faculdades, instituições, entidades, pessoas físicas ou jurídicas, nacionais ou estrangeiras, para promover alianças baseadas em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I), visando o desenvolvimento econômico do setor.

Pretendemos ainda, participar junto às autoridades e órgãos governamentais dos debates para a definição das políticas que permitam garantir uma infraestrutura de conectividade de alta qualidade e compatível com os padrões tecnológicos mundiais.

Quais os maiores desafios que a associação vê no atual cenário Paraense de internet?

Hoje o nosso Estado vive em varias frentes desafiadoras na busca do desenvolvimento social e econômico. Nesse sentido, a Appit vem ao encontro desses interesses, pois nossa pretensão é disponibilizar ferramentas eficazes para este crescimento, porque sem tecnologia o Estado do Pará não tem como crescer. Em função disso, Iremos promover e incentivar a implementação de políticas públicas de inclusão digital.

Lutaremos ativamente, em todas as esferas, pelo aprimoramento da legislação e da regulamentação da atividade, dessa forma, pretendemos abrir um canal de conversação com todos os setores da sociedade, Governo, empresas, Ministério Público, Instituições de Ensino e, principalmente, com as maiores vitimas, dessa falta de estrutura tecnológica, a população, pois sabemos da importância da internet para alavancar os negócios, seja para pequenos e grandes negócios, ou até mesmo para Empreendedores formais e informais, seja na forma de ecommerce B2B, B2C, C2C e etc.

 

De inicio pretendemos agendar uma conversa com duas entidades primordiais, na viabilização dos nossos objetivos, a que regulamenta este segmento e o Ministério Público, para que em seguida, possamos marcar uma reunião com a Rede Celpa e Eletronorte, empresas estas que estão criando embaraços para a nossa expansão, consequentemente inviabilizando o desenvolvimento de nosso Estado do Pará. Comentou Trevisan.

 

Para o Pará entrar neste mundo de informações, é necessário o desenvolvimento dessa estrutura tecnológica, pois só assim o nosso mercado certamente terá mais possibilidades de atingir grande sucesso.

Vocês começaram com quantos associados?

APPIT: Não tivemos muito tempo para reunir todos os interessados, devido à dimensão do Estado do Pará. Tivemos que fazer nossa reunião de fundação em Altamira, onde o embate é maior.

Fizemos tudo em caráter de urgência, mas, sem esquecer de um bom planejamento, pois temos em nossa equipe excelentes consultores.

Entre os profissionais que compõem a APPIT estão:
- advogados, administradores, juristas, professores entre outros interessados na melhoria desses serviços e no desenvolvimento do Estado do Pará.

Como fica a receptividade com novas empresas interessadas?

As adesões continuam em nossa secretaria, que ainda estamos estruturando. Em breve estaremos facilitando ainda mais o apoio de nossos associados que nos ligam interessados em fazer logo sua inscrição no quadro social. Nossa meta é ter pelo menos um associado em cada município até o final do primeiro semestre de 2018.

Mesa Diretoria: 

Presidente: José Selestino Trevisan Junior;

Primeiro Vice-Presidente: Mario Jose Soares De Lira;

Segundo Vice-Presidente: Marcos Antonio Pereira;

Diretor Administrativo: Josué Castro dos Santos;

Diretor de Serviços Internet e telecomunicações: Alan Carneiro

Diretor de Serviços para Associados: Jocenir Gomes da Silva;

Diretor Financeiro: Lucivaldo Silva Maia.

Conselho Fiscal:

Ruy Barbosa Borges França;

Camila Letícia Queiroz Pires de Moura;

Juventino Goncalves Dos Santos Neto.

Suplentes:

Bartolomeu Lopes Gurgel;

Alan Igino De Mello;

Éder Ruffeil Cristino.

A MHemann parabeniza a todos membros da entidade pela iniciativa.

Que colham bons frutos junto a todas empresas associadas que prestam serviços de banda larga e telecomunicações no estado.

CONFIRA OUTRAS NOTÍCIAS EM NOSSO BLOG:

Provedores Criam Rede com 70Km de Fibra Óptica

Possível queda da Operadora Oi poderá desencadear empreendedorismo em banda larga em todo país

Redes Subterrâneas começam a ser implementadas em São Paulo

Provedores do Mato Grosso do Sul contarão com primeiros PTTs do estado

http://mhemann.com.br/2017/09/comercio-ilegal-de-receptores-de-tv/

Los comentarios están cerrados.